PARASITAS NA CARNE

Ténia
Os humanos hospedam mais de 350 espécies de parasitas, sendo uma parte significativa oriunda da domesticação e consumo de animais.1 A infecção é responsável por doenças sérias, prevalentes e aterrorizadoras, e reforça a noção da perigosidade inerente à dieta omnívora.

TÉNIA – NEUROCISTICERCOSE

A contaminação parasitária mais frequente em humanos é causada pela ténia.2 As larvas – conhecidas como cisticercos – podem migrar por todo o corpo, e criam cavidades onde os seus corpos crescem de dois a sete metros de comprimento, durante cerca de 25 anos. Em ressonâncias magnéticas vêem-se os buracos dos vermes, tipo crateras.Quando atingem o sistema nervoso central produzem uma condição conhecida como neurocisticercose, que é a causa mais comum de epilepsia adquirida mundialmente.A maioria dos indivíduos infectados demonstra sinais de doença psiquiátrica, em particular de depressão e psicose.5 A carne de suínos e de bovinos encontra-se universalmente contaminada – 95% – e o seu consumo é a principal fonte de infecção.6

As larvas da ténia, adquiridas principalmente pelo consumo de carne, podem migrar pelo corpo e invadir violentamente o cérebro.

TRIQUINELA – TRIQUINOSE

À semelhança da ténia, a infecção por triquinela é adquirida através da ingestão de carne que contém a larva encistada. Um ciclo de vida completo desenvolve-se num único hospedeiro, a partir de vermes adultos no intestino, que produzem larvas recém-nascidas migratórias que se encistam nos órgãos. Afecções imunológicas, musculares, oculares, diarreia e febre são os principais sintomas, que se podem estender até danos no sistema nervoso central e obstrução vascular resultante da migração larval.7 A omissão das enormes taxas de infecção suína por parte das agências regulatórias permite que, mundialmente, milhões de pessoas contraiam a triquinose.8

O cenário dantesco das consequências de consumir animais.

LOMBRIGAS – ASCARIDÍASE

A infecção com lombrigas, que afecta mais de um bilião de pessoas, ocorre principalmente a partir do consumo de carne ou de alimentos contaminados com os ovos do parasita, o que proporciona a sua eclosão no intestino. Os vermes não atingem a fase adulta imediatamente: primeiro migram pelo corpo, até aos pulmões, por onde são expelidos e engolidos, para atingir novamente os intestinos.1 A enorme prevalência de contaminação dos animais de consumo, e a utilização das suas fezes como adubo, garante que se mantenham as elevadas taxas de contaminação.9,10

As lombrigas podem causar obstrução intestinal completa, e chegam a emergir pelo nariz e boca.

TOXOPLASMA – TOXOPLASMOSE

Uma das principais fontes de contaminação por toxoplasmose consiste no consumo e manuseamento de carne – uma vez que o parasita é absorvível através da pele. Na maior parte dos casos, o sistema imunitário conseguir impedir os sintomas, no entanto, mulheres infectadas durante a gravidez e qualquer pessoa com um sistema imunitário comprometido podem sofrer consequências severas.11 O parasita infecta preferencialmente o cérebro, e provoca desde alterações desfavoráveis na personalidade a esquizofrenia e afecções motoras.12,13 Esse perfil de efeitos é particularmente interessante, tendo em consideração a evidência que demonstra que a toxoplasmose aumenta os comportamentos de risco em ratos, o que os torna em presas mais fáceis, e permite que o parasita atinja o organismo dos gatos, o seu hospedeiro definitivo.14 Uma análise de amostras de carne de supermercado demonstrou que perto de 40% estão infectadas.15

Defeitos de nascimento e lesões oculares são outras das potenciais consequências da infecção por toxoplasmose.

ANISAKIS – ANISAKIOSE

O Anisakis simplex é uma das várias espécies de parasitas que contaminam animais marinhos e que são transmitidas a humanos através da alimentação. Quando é consumida, a larva do Anisakis penetra na mucosa gástrica provocando inflamação, mas mesmo se estiver morta possui propriedades alergénicas.28 Peixe ultracongelado infectado e extractos de peixe preservam as propriedades nocivas do parasita.29

Sushi e peixe fresco: veículos ideais para a contaminação larval.

O consumo de animais é o denominador comum do círculo vicioso que perpetua algumas das principais infecções parasitárias em humanos.


1 – Arizono N, Yoshimura Y, Tohzaka N, Yamada M, Tegoshi T, Onishi K, Uchikawa R. History of Human Parasitology. Clin Microbiol Rev. 2002 Oct; 15(4): 595–612.
2 – Sotelo J. Clinical manifestations, diagnosis, and treatment of neurocysticercosis. Curr Neurol Neurosci Rep. 2011 Dec;11(6):529-35.
3 – Davidson PN. Neurocysticercosis: fireflies in the central nervous system. Am J Electroneurodiagnostic Technol. 2010 Mar;50(1):26-36.
4 – Christina M. Coyle, Herbert B. Tanowitz. Diagnosis and Treatment of Neurocysticercosis. Interdisciplinary Perspectives on Infectious Diseases. Volume 2009 (2009), Article ID 180742.
5 – O V Forlenza, A H Filho, J P Nobrega. Psychiatric manifestations of neurocysticercosis: a study of 38 patients
6 – Taratuto AL, Venturiello SM. Trichinosis. Brain Pathol. 1997 Jan;7(1):663-72.
7 – Taratuto AL, Venturiello SM. Trichinosis. Brain Pathol. 1997 Jan;7(1):663-72
8 – Pozio E. Searching for Trichinella: not all pigs are created equal. Trends Parasitol. 2014 Jan;30(1):4-11.
9 – Nejsum PBetson MBendall RPThamsborg SMStothard JR. Assessing the zoonotic potential of Ascaris suum and Trichuris suis: looking to the future from an analysis of the past. J Helminthol. 2012 Jun;86(2):148-55.
10 – Arizono NYoshimura YTohzaka NYamada MTegoshi TOnishi KUchikawa R. Ascariasis in Japan: is pig-derived Ascaris infecting humans? Jpn J Infect Dis. 2010 Nov;63(6):447-8.
11 – Parasites – Toxoplasmosis (Toxoplasma infection). CDC Centers for Disease Control and Prevention.
12 – Jaroslav Flegr. Effects of Toxoplasma on Human Behavior. Schizophr Bull. 2007 May; 33(3): 757–760.
13 – Vern B. Carruthers,  Yasuhiro Suzuki. Effects of Toxoplasma gondii Infection on the Brain. Schizophr Bull. 2007 May; 33(3): 745–751.
14 – Joanne P. Webster. The Effect of Toxoplasma gondii on Animal Behavior: Playing Cat and Mouse. Schizophr Bull. 2007 May; 33(3): 752–756.
15 – Aspinall TV, Marlee D, Hyde JE, Sims PF.Prevalence of Toxoplasma gondii in commercial meat products as monitored by polymerase chain reaction–food for thought? Int J Parasitol. 2002 Aug; 32(9):1193-9.
16 – A, Pascual CY, Martín Esteban M. Anisakis and anisakiosis. Allergol Immunopathol (Madr). 2003 Nov-Dec;31(6):348-55.
17 – Rodríguez-Mahillo AI, González-Muñoz M, de las Heras C, Tejada M, Moneo I. Quantification of Anisakis simplex allergens in fresh, long-term frozen, and cooked fish muscle. Foodborne Pathog Dis. 2010 Aug;7(8):967-73.

2 Comments

  1. Catarina March 20, 2017
    • admin March 20, 2017

Leave a Reply