DEGENERAÇÃO MACULAR – ANIMAIS OU VEGETAIS?

A Degeneração Macular é, como o nome indica, uma doença degenerativa da mácula – uma zona do olho responsável pela visão de alta definição a cores – que se destaca como uma das principais causas de perda de visão.1 Uma das explicações plausíveis para o desenvolvimento da doença reside nas consequências sistémicas da aterosclerose que, ao comprometer a manutenção da integridade dos tecidos do olho, conduz à sua degeneração.2,3 Portanto, os factores dietéticos implicados no desenvolvimento de doença vascular podem ser largamente responsáveis pela perda de visão.4,5 Por essa razão, indivíduos que consomem quantidades elevadas de gordura saturada e de colesterol – provenientes principalmente de carne, ovos e lacticínios – tem um risco de desenvolver Degeneração Macular cerca de 80% superior ao de indivíduos com os consumos mais baixos.2,3 Por outro lado, os dados sugerem um forte efeito protector do consumo de frutas e vegetais.6,7 Uma das razões pode estar relacionada com os fitoquímicos luteína e zeaxantina que o organismo utiliza em exclusividade para formar o pigmento ocular que protege as células fotorreceptoras dos danos provocados pela luz.8 A quantidade desse pigmento está inversamente associada à incidência de degeneração macular.9,10

A preservação da visão é mais uma razão forte para abdicar do consumo de carne, ovos e lacticínios em favor de frutas e vegetais.


1 –  Resnikoff S, Pascolini D, Etya’ale D, Kocur I, Pararajasegaram R, Pokharel GP, Mariotti SP. Global data on visual impairment in the year 2002. Bull World Health Organ. 2004 Nov; 82(11):844-51.
2 – Mares-Perlman JA, Brady WE, Klein R, VandenLangenberg GM, Klein BE, Palta M. Dietary fat and age-related maculopathy. Arch Ophthalmol. 1995 Jun;113(6):743-8.
3 – Smith W, Mitchell P, Leeder SR. Dietary fat and fish intake and age-related maculopathy. Arch Ophthalmol. 2000 Mar;118(3):401-4. 
4 – Snow KK, Seddon JM.Do age-related macular degeneration and cardiovascular disease share common antecedents? Ophthalmic Epidemiol. 1999 Jun;6(2):125-43.
5 – van Leeuwen R, Ikram MK, Vingerling JR, Witteman JC, Hofman A, de Jong PT.  Blood pressure, atherosclerosis, and the incidence of age-related maculopathy: the Rotterdam Study. Invest Ophthalmol Vis Sci. 2003 Sep; 44(9):3771-7.
6 – Cho E, Seddon JM, Rosner B, Willett WC, Hankinson SE. Prospective study of intake of fruits, vegetables, vitamins, and carotenoids and risk of age-related maculopathy. Arch Ophthalmol. 2004 Jun;122(6):883-92.
7 – Seddon JM, Ajani UA, Sperduto RD, Hiller R, Blair N, Burton TC, Farber MD, Gragoudas ES, Haller J. Dietary carotenoids, vitamins A, C, and E, and advanced age-related macular degeneration. Eye Disease Case-Control Study Group. JAMA. 1994 Nov 9;272(18):1413-20.
8 – S. Beatty, I. J. Murray, D. B. Henson, D. Carden, H. Koh, M. E. Boulton. Macular pigment and risk for age-related macular degeneration in subjects from a Northern European population. Invest. Ophthalmol. Vis. Sci. 2001 42(2):439 – 446.
9 – Krinsky NI, Landrum JT, Bone RA. Biologic mechanisms of the protective role of lutein and zeaxanthin in the eye. Annu Rev Nutr. 2003;23:171-201.
10 – Lyle BJ, Mares-Perlman JA, Klein BE, Klein R, Greger JL. Antioxidant intake and risk of incident age-related nuclear cataracts in the Beaver Dam Eye Study. Am J Epidemiol. 1999 May 1;149(9):801-9.

Leave a Reply